.

.
“A Maioria das pessoas preferiria morrer à pensar; de fato, muitas o fazem.”

terça-feira, 31 de agosto de 2010

Tensão Pré Vestibular


                  
                 Pior do que a TPM, esse é um mal não atinge só as mulheres, e também não dura só alguns dias por mês, a Tensão pré Vestibular pode durar meses e meses e agonizar homens, mulheres, de todas as idades, independente de qualquer outro fator externo. Bom, por mais que haja pessoas que não dão a devida atenção a esse momento crucial em suas vidas, essa fase de vestibulandos mexe com a vida e os hábitos delas. Pra começar, tem aquele tipo de pessoa que parece não ligar pra nada, que apesar de saber que é importante não estuda e não se importa. Mas será que é isso mesmo que passa pelo interior dessa pessoa? não, claro que não, essa pessoa no fundo está totalmente preocupada com o vestibular, com estudar, está totalmente estressada, mas prefere se esconder atrás dessa parede de 'bagunceiro que não quer nada com a vida'. Tem outro tipo de vestibulando, que é o meu caso, superestressados, que quando lembram da prova começam a chorar, se irritam com facilidade, é como se fosse uma TPM eterna. Você consegue sim ficar bem algumas partes do dia, mas é só aparecer alguma coisa que faça alusão ou tenha relação com a grande prova 'definidora de vidas' que já começa a agonia. O vestibular mexe com a mente das pessoas, porque querendo ou não é um separador de águas, ali você direciona a sua vida. Antigamente, as provas de vestibular eram muito mais objetivas e teóricas, o que era cobrado na maioria das vezes era o 'decoreba', então, pra passar numa prova, basicamente você tinha que decorar todos os seus livros de Ensino Médio. Mas hoje, o esquema mudou. As Universidades não estão interessadas numa pessoa que tenha boa capacidade de memorização, o mundo mudou, agora o que está em alta é a intertextualidade, ou seja, você saber relacionar diversos assuntos, tirar conclusões, debater. A prova tem um modelo totalmente diferente. Você nao precisa mais lembrar de todas aquelas coisas e sim saber relacionar as diversas matérias; mais fácil assim? Piorou ? Melhorou? Digo que acompanhou uma tendência mundial, onde não basta só aprender a ler, você tem que interpretar, querem seres que pensem, não que façam o que as máquinas fazem, só obedeçam ordens. Para comprovar isso, pesquisar mostram que 20% só do vestibular é conteúdo, os outros 80% são  totalmente o seu estado de espírito. Se você está calmo, como você dormiu e todos esses fatores. Mas se a gente pensar, não é tão espantoso assim,o seu cérebro é o que pensa, retém informações e é ele quem faz o vestibular. Mas o cérebro desempenha diversas funções. Vamos comparar o cérebro com um corpo humano normal, se seu corpo está ansioso, com problemas, com certeza isso irá refletir nas outras funções, como as emocionais, e etc. Se você acabou de fazer uma atividade física, ou seja, está cansado, mesmo que a próxima atividade seja 'movimentar' outra parte do corpo, você irá ter dificuldade para realizar essa tarefa. Então, uma noite mal dormida, estresse, acabam atrapalhando um bom rendimento não só numa prova de vestibular, mas em tudo que requer esse trabalho. Outra coisa que pega muito os candidatos é o tempo. Mas nossa, são 5 \4 horas para fazer, claro que dá tempo...' não se engane, na hora o tempo passa que você nem percebe, 5 horas são são nada quando você está na prova que decidirá sua vida. Pessoas tem mania de por exemplo, ' ah, eu sou boa em física, então vou ficar aqui resolvendo essa questão até conseguir' esse é o maior erro, porque uma questão super difícil de resolver, no fim tem a mesma pontuação do que aquela que você resolveria em 10 segundos, e na hora de corrigir, não há essa diferenciação, então uma dica, quando você vir uma questão que você sabe que é demorada, passe para frente, no FINAL, se houver tempo você volta nela. Eu aprendi a fazer isso com questões de matemática, por mais que doesse profundamente deixar uma perfeita questão de matemática sem fazer, se não fosse por isso, hoje eu não estaria numa Universidade. É complicado, mas dá pra fazer. Rç. Depois da prova feita, tem aquela grande agonia de esperar o resultado do vestibular, são os dias mais longos, porque ao mesmo tempo que você quer que o resultado saia, que você quer ver, você também não quer ver, não quer que saia, é um momento paradoxal na vida de qualquer um. Mas quando ele finalmente sai, vem aquela sensação de descarregar um piano das suas costas. Quando passa, NOSSA,. no começo você não acredita, fica gritando, estraga tooodo o cabelo com areia e ovo e tudo que se possa jogar, mas depois vem a saudade, sua vida muda, seus amigos, os que vão, igualmente felizes, mas os que ficam... é ruim, dá saudade, mas no fim, você acostuma, afinal você tem que acostumar ): . E quando você não passa, é aquela coisa, você se sente a pior das pessoas no início, mas a pessoa tem que saber se reerguer e não desistir, vestibular é cruel, depende de muitos fatores, depende também da sorte de cair o que você sabe, então, desistir não é o caminho, uma hora as coisas dão certo, e se não deram , é porque ainda não acabou,

Ah , Taynnara, vou sentir saudades, )+

sexta-feira, 13 de agosto de 2010

Moda, é possível fugir dela?



           
                 Moda. Modinha. Todo mundo é influenciado por ela querendo ou não. A lógica é bem simples, desde a Grécia Antiga, havia estereótipos nos quais as pessoas se espelhavam, parâmetros e isso foi um fato recorrente em todas as etapas da humanidade. Podemos exemplificar de maneira física. Quando você coloca a mão na água morna, e depois na água quente, essa água morna trará a sensação de que está mais fria que a água quente, agora se você colocar a mão na água morna e depois na água fria, essa água morna será mais quente, ou seja? Tudo que formos fazer, pensar ou julgar tem um certo ponto referencial, uma partida, se você muda esse pondo referencial tudo muda. O que eu estou querendo dizer com tudo isso, é que o modo como os Gregos admiravam a perfeição dos " Deuses Gregos" de nada mudou para a nossa percepção, hoje os estereótipos são diferentes, mas eles ainda existem. Enfim, a moda não é nada mais do que um padrão que o mundo tem, para que a gente se baseie em alguma coisa, pois isso é inevitável, nós não podemos ser contra ou a favor de algo não concreto. Tem pessoas que adoram andar na moda, porque acham bonito, outras que gostam só porque está na moda. e outras que não usam justamente porque está na moda. Independente do que seja, você tem que usar o que você se sentir bem usando. Ao meu ver, o tolo que usa coisas só porque estão na modinha, é tão tolo quanto o que não usa só porque está na modinha. Um é uma forma de alienação e o outro um preconceito que gera alienação. A antiga Geração era baseada na cópia, no mais simples, essa era a moda, ficar mais parecido com tal pessoa, hoje em dia isso ainda existe, mas a nova 'moda', resume-se simplesmente na negação na própria moda, as pessoas querem parecer o mais diferente possível de tudo que já tenham visto, logo, por mais que elas tentem fugir de um padrão, essa própria fuga está virando um padrão. Olhe a sua volta, quando você pensa que já viu de tudo, as passarelas mostram coisas que você nunca tinha nem sequer cogitado a possibilidade de estar usando, e assim, vai ficando cada vez mais diferente. Penso que quando as possibilidades do mais estranho estiverem se esgotando, a moda começará a regredir em termos de  simplicidade, as roupas vão ficar cada vez mais 'normais', para depois o processo recomeçar. E no meio disso, como ficamos? Não se deve criticar a moda, porque todo mundo a segue de um jeito ou de outro, duvido alguém dizer que não segue, tudo é moda, todo mundo influencia e é influenciado e vai ser sempre assim, por mais que algumas pessoas não admitam. Tudo é estranho, você pode achar paradoxal, mas pense, o ser humano é tão subjetivo, sujeito a tantas emoções, acho que não seria tão estranho assim se esse ser cheio de conflitos julgasse o estranho como normal e o normal como estranho, num mundo em que vence quem se diferencia, não cabe mais certos preconceitos, pensamentos arcaicos que barram o pensamento lógico de um ser. Se é colorido, branco e preto, brilhante, sem cor, alto, baixo, curto, amarelo, vermelho, simples, esdrúxulo, quem liga?não, não se pode fugir da moda. Vista o que você quiser e seja feliz, seus parâmetros é você quem escolhe.

segunda-feira, 2 de agosto de 2010

Não, você não tem cara de Maria...


                             
                     Oi, qual é o seu nome? Maria. Maria? como assim Maria, você tem cara de Talita. Talita? Oras, mas por que Talita? Ué, porque pessoas que tem cara de Talita, são delicadas. Marias sozinhas me lembram religiosas, assim, como Marias Luizas me lembram crianças, logo, como pode você se chamar Maria sendo tão delicada como posso perceber? Hmm, desde quando nomes dizem alguma coisa sobre a pessoa, não entendo tal racionício. Não entende ? Olhe aquele homem, trabalhador, tem cara de Pai de família, ORAS, só pode se chamar João. é tudo tão simples Talita. Pois fique o senhor sabendo que sou Maria, e bem Maria, e aquele homem não se chama João, é o meu irmão Alex. Como disse, Alex? Pois está enganada, Alexes' são aquelas pessoas com músculos desenvolvidos que vão a academia todos os dias e que geralmente se acham. Logo, Alex ele não poderia ser. Meu senhor, como contesta a escolha de nossa mãe, Rosana, tão culta e 'estudada' ? Ah, sabia que o problema estava aí, Rosanas são radicais, lutadoras, mas sempre metem os pés pelas mãos, claro que ela se chama Rosana, viu, como tudo é compreensível? Uma Rosana, muito apressada, coloca nomes equivocados nos filhos, não me parece tão imprevisível. Mas agora o senhor ofendeu-me, quem pensa que é? Opiniões são livres num país livre minha Senhora, tenho certeza de que se não quisesse ouvir, não estaria aqui brigando com um pobre mendigo. Ah, com licença, pra mim chega dessa sua ladainha (...) anda anda anda, some de vista(...) E alí se foi mais uma delicada Talita, como se tudo se repetisse. Eu, João, trabalhador, tinha uma mulher chamada Talita, delicada com a brisa que fazia com que os seus cabelos farfalhassem , mas que encontrou e se iludiu com um musculoso Alex. Linda e delicada, a brisa não levou apenas os seus cabelos, mas a fez ir embora, onde músculos cuidarão da sua segurança física, mas que farão com que seu coração fique desolado e ela se torne fútil, talvez vire até uma MARIA, para assim tentar fugir do sofrimento de não ser compreendida, mas mais uma vez, uma Talita, que virou Maria, age como uma Rosana, precipitada e deixa um João, por um Alex. E aqui estou eu, sem rumo vagando, mas as vezes quando você perde o amor da sua vida, você perde mais do que um sentimento, uma parte do seu coração, que estava com a outra pessoa vai junto, e com ela a vontade de seguir em frente, ou fazer alguém te ouvir, te entender. Mas apesar da falta de um coração, os músculos, mesmo que fracos, continuam a vagar a procura de alguma esperança, esperança essa que não se encontra em outras pessoas e muito menos em deus, e sim em si mesmo.] Histórias, são apenas histórias? não, elas podem ser metáforas que nos dizem muito sobre a vida real. Você aí, tem um João ? Se ainda é uma talita que tem um João, não o perca, não se Iluda com Alex, não haja como Rosana. não vire uma Maria. A coisa mais importante que uma pessoa pode ter é o amor, sim, um amor, que seja ele modesto, que seja ele simples. Mas que existe, porque se não houver sua presença, qualquer coisa física , por mais bela que ela seja, tratá só a melancolia de um oco coração.

Agradecimentos a minha TPM, que está me matando.
 

Para facilitar, me chame de ateu. Copyright © 2010 Flower Garden is Designed by José Felipe for Tadpole's Notez Flower Image by Rebeca chuffi.