segunda-feira, 2 de agosto de 2010

Não, você não tem cara de Maria...


                             
                     Oi, qual é o seu nome? Maria. Maria? como assim Maria, você tem cara de Talita. Talita? Oras, mas por que Talita? Ué, porque pessoas que tem cara de Talita, são delicadas. Marias sozinhas me lembram religiosas, assim, como Marias Luizas me lembram crianças, logo, como pode você se chamar Maria sendo tão delicada como posso perceber? Hmm, desde quando nomes dizem alguma coisa sobre a pessoa, não entendo tal racionício. Não entende ? Olhe aquele homem, trabalhador, tem cara de Pai de família, ORAS, só pode se chamar João. é tudo tão simples Talita. Pois fique o senhor sabendo que sou Maria, e bem Maria, e aquele homem não se chama João, é o meu irmão Alex. Como disse, Alex? Pois está enganada, Alexes' são aquelas pessoas com músculos desenvolvidos que vão a academia todos os dias e que geralmente se acham. Logo, Alex ele não poderia ser. Meu senhor, como contesta a escolha de nossa mãe, Rosana, tão culta e 'estudada' ? Ah, sabia que o problema estava aí, Rosanas são radicais, lutadoras, mas sempre metem os pés pelas mãos, claro que ela se chama Rosana, viu, como tudo é compreensível? Uma Rosana, muito apressada, coloca nomes equivocados nos filhos, não me parece tão imprevisível. Mas agora o senhor ofendeu-me, quem pensa que é? Opiniões são livres num país livre minha Senhora, tenho certeza de que se não quisesse ouvir, não estaria aqui brigando com um pobre mendigo. Ah, com licença, pra mim chega dessa sua ladainha (...) anda anda anda, some de vista(...) E alí se foi mais uma delicada Talita, como se tudo se repetisse. Eu, João, trabalhador, tinha uma mulher chamada Talita, delicada com a brisa que fazia com que os seus cabelos farfalhassem , mas que encontrou e se iludiu com um musculoso Alex. Linda e delicada, a brisa não levou apenas os seus cabelos, mas a fez ir embora, onde músculos cuidarão da sua segurança física, mas que farão com que seu coração fique desolado e ela se torne fútil, talvez vire até uma MARIA, para assim tentar fugir do sofrimento de não ser compreendida, mas mais uma vez, uma Talita, que virou Maria, age como uma Rosana, precipitada e deixa um João, por um Alex. E aqui estou eu, sem rumo vagando, mas as vezes quando você perde o amor da sua vida, você perde mais do que um sentimento, uma parte do seu coração, que estava com a outra pessoa vai junto, e com ela a vontade de seguir em frente, ou fazer alguém te ouvir, te entender. Mas apesar da falta de um coração, os músculos, mesmo que fracos, continuam a vagar a procura de alguma esperança, esperança essa que não se encontra em outras pessoas e muito menos em deus, e sim em si mesmo.] Histórias, são apenas histórias? não, elas podem ser metáforas que nos dizem muito sobre a vida real. Você aí, tem um João ? Se ainda é uma talita que tem um João, não o perca, não se Iluda com Alex, não haja como Rosana. não vire uma Maria. A coisa mais importante que uma pessoa pode ter é o amor, sim, um amor, que seja ele modesto, que seja ele simples. Mas que existe, porque se não houver sua presença, qualquer coisa física , por mais bela que ela seja, tratá só a melancolia de um oco coração.

Agradecimentos a minha TPM, que está me matando.

2 comentários:

Dih on 9 de agosto de 2010 07:43 disse...

Nossa muito bom o seu texto
vc tem talento d+ menina
alem de cantora, matematica é escritora tambem =D

vai ter muito sucesso na vida, eu posso ver
só nunca desista de lutar pq quem não luta e só espera nada consegue.. e se consegue logo perde..

abraços e continue com esse sucesso =D

Rebeca Chuffi on 13 de agosto de 2010 22:40 disse...

*---* OBRIGADA (:

Postar um comentário

 

Para facilitar, me chame de ateu. Copyright © 2010 Flower Garden is Designed by José Felipe for Tadpole's Notez Flower Image by Rebeca chuffi.