.

.
“A Maioria das pessoas preferiria morrer à pensar; de fato, muitas o fazem.”

sexta-feira, 22 de outubro de 2010

Pare, e olhe as nuvens




         Ali estão as nuvens. Por si nada querem expressar, são um simples símbolo da espontaneidade da natureza. Paro e vejo as nuvens. São brancas, são brancas gelo. Brancas neve. Cinza. Pretas. Azuis? Pare e olhe as nuvens. Proveniente de um tédio total, de uma longa viagem, do escurecer forçado por nuvens escuras e águas que puxadas pela gravidade insistem em querer nos molhar. Proveniente até do acaso, paramos e olhamos as nuvens. Por um só momento, em que o tempo realmente se mostra relativo, um segundo, um dia, um ano. Pare e olhe as nuvens. As vezes, ali, não importa o que você é, não importa se logo atrás delas está deus, ou a beleza de um universo infinitamente grande.Você simplesmente olha, aquele amontoado de formas que aparentemente não significam nada, e como se você controlasse o mundo a sua volta, como se seus sonhos pudessem ser desenhados numa simples folha de papel e exteriorizados para a nossa falsa visão de realidade... Elas começam a tomar forma. Simples acasos naturais.Simples transporte da chuva.Simples fantasia do céu. Pare e olhe as nuvens. Elas agora são o que você quiser. Seus maiores sonhos. Um cavalo. deus. E ali, por um segundo, um minuto ou uma eternidade, você pode ter um universo só seu. Quase como se fosse uma extensão dos seus pensamentos. Você vê suas ideias fora de você. Você vê seus sonhos, como se não fossem só sonhos e eles lhe parecem mais palpáveis. Quando não se dá para ver o céu, o topo, tudo que está no limite da sua visão parece espetacular. É o máximo que você enxerga, mas não o máximo que você pode chegar.Mesmo para aqueles que não veem nada.Ver nada é ver tudo. Ver nada é não especificar. Sonhos mutáveis. Sonhos reais e adaptáveis. Desde aquele que só para para ver o tempo até o que passa tardes inteiras contemplando e brincando com sonhos. Brincando com nuvens. Cérebro fanfarrão. Deixa com que seus pensamentos vaguem fora de casa. Deixa que você acredite que existe um universo só seu. Universo esse que cabe apenas às suas interpretações. Cérebro fanfarrão. Que também é dotado de consciência, e quando você menos espera, o minuto acaba. O dia acaba. A eternidade acaba. Você volta à uma realidade que não é mais só sua. Uma realidade que não depende só das suas interpretações e sim de um conjunto de 'visões' de mundo. E então, você volta à viagem cansativa. Percebe o entardecer e vai para casa. Percebe que vai chover e corre. Cérebro fanfarrão. Recolhe todos os seus pensamentos que quase que involuntariamente fogem do seu comando e esconde-os novamente num ser. ser que talvez nunca mais atente aos seus sonhos. ser que pode parar de existir e nunca mais poder contemplar a exteriorização dos próprios pensamentos. Ser que passa por toda essa sensação estranha e nem sequer percebe. Ser que passa o dia todo fora de casa e não tem a capacidade de olhar para o céu. Pare e olhe as nuvens. Não importa no que você acredite. Não importa onde você mora. Não importa a cor do seu cabelo. Não importa a sua opção sexual. Nada importa. você sempre terá um lugar, profundo ou superficial, dentro dos seus pensamentos mais íntimos, em que nada importa. é o seu universo e você o molda como quiser, assim como as nuvens. Sempre que puder, pare e olhe as nuvens. Ache-se.



segunda-feira, 18 de outubro de 2010

Mito da superioridade religiosa


       

        Olá, desculpem a demora para postar, mas problemas pessoais me impediram de escrever por um tempo. (: Primeiramente eu queria responder a uma pergunta de uma vez por todas. Provavelmente é o que muitas pessoas se perguntam e com o pensamento da nossa sociedade atual é até compreensível: " Chuffi, por que você fica falando e se expondo em vez de ser uma ateia 'quietinha' no seu canto ? Bom, realmente, eu acho que metade dos meus problemas e desentendimento vem pelo fato de eu " expor'' demais o meu ponto de vista com relação a religião, mas eu pergunto a vocês. Olhe para os lados, em todo o lugar te entregam 'santinhos', e eles perguntam se eu sou católica pra receber? Não, eu pego se eu quiser, mas é um tipo de exposição, porque os católicos não ficam 'quietinhos' no canto deles? Não tem um dia que eu não passe o canal da TV e não veja flores e padres. microfones. Gritos, orações, milagres. Ué, em plena via pública de comunicação? Seria muita exposição não seria? Quantos améns, Graças a deus, e vá com deus. Bíblias e Bíblias e salmos , testamento velho, novo. Deus seja louvado até no próprio dinheiro, símbolo máximo do desapego espiritual. Crucifixos, santinhos. Igrejas. Atrás de caminhões, carros, caminhonetes, portas Em todo lugar há igrejas e missas, e templos. E dia sagrado. dia sagrado, hora sagrada, sábado sagrado. Feriado nacional num país laico. No tribunal ? " você jura perante a deus dizer a verdade e somente a verdade''. Oh deus , santo deus. Que exposição, porque a religião não consegue agir calada? Pra que essa exposição?Bom, poderia ficar aqui a madrugada toda só citando e citando o quanto o 'nome de deus' é empregado em qualquer canto que se vá, sem até mesmo respeitar os que não compartilham do mesma lógica religiosa, mas esse não é o meu objetivo hoje. Pode até parecer que eu estou ironizando ou reclamando de alguma coisa. Certas[muitas] coisas eu não concordo, mas o motivo maior que me traz aqui é uma discussão bem visível. Por que a religião, os religiosos, as pessoas, o mundo e até mesmo alguns ateus tem a falsa ideia de que a religiosidade em si está num patamar acima de qualquer outro tipo de pensamento e merece 'mais respeito', como se fosse o normal e por isso certo ? Religião nada mais é do que um estilo de vida que você escolhe, uma forma na qual você se sente bem e feliz seguindo, um ponto de vista. Oras, então qual seria o motivo pelo qual outros pontos de vista teriam que se 'esconder' para não se 'expor'? Pessoas, CANSO de ver blogs e sites, revistas " Palavra de deus', " catolicismo'' , '' conheça o budismo''. Qual o problema de criar algo com " conheça o ateísmo", ou " ateus, uni-vos' ?( assim como o comunismo, um ponto de vista, um ideial). Qual o problema então, desse blog se chamar " Para facilitar, me chame de ateu''? Por que quem pensa diferente tem que se esconder? Não. não. nada disso. Acho que o direito de expressão é geral, ainda mais hoje, que não se controla mais nada, não há mais espaço para " nossa, fala isso baixo", se você acredita em alguma coisa e quer cochichar. cochiche. Agora se você que GRITAR !  Grite. quem não quiser ouvir que saia. quem não quiser ver que tampe os olhos. O mundo é feito de opiniões, e você não deve ter medo de uma que é diferente da que você é acostumada a lidar. Se você, caro colega, confia tanto em você, no que você pensa e acredita, qual o problema de ler outro texto com um pensamento distinto ? Conhecer outras coisas, não te faz um ''pecador''.  Enfim, eu me exponho ? sim, sim e sim, já me trouxe problemas, incômodos, pessoas e pessoas reclamando, mas em contrapartida quantas pessoas não me mandam mensagens dizendo que repensaram,  ou que começaram a analisar os fatos de forma diferente, não digo " CONVERTER' as pessoas, ninguém converte ninguém, cada cabeça consolida um pensamento de acordo com o que ela acha coerente, ao menos respeitar. Pessoas que chegam e falam que mudaram totalmente a visão sobre o ateísmo. isso não é trair deus, buda ou alá, porque se você acredita que ele exista, com certeza ele não poderá te julgar por tentar entender outros pontos de vista. e se ele te julga, é hora de repensar seu conceito sobre deus. O respeito é uma via de mão dupla, é reversível, a religião não o merece mais do que a falta dela, ou do que o ateísmo. Quem quer respeito deve respeitar. Pode parecer uma lição de moral barata, mas pense, tudo gira em torno disso, da tolerância, não só religiosa como em tudo. Num mundo de diferenças, o que será de você se não tiver tolerância com o que se difere do que é 'normal' em seus conceitos? Pessoas são diferentes, cabeças são diferentes. Como você vai saber se a água está fria, se você nunca tocou na água quente? Como você vai saber que o pensamento que você segue desde pequeno e  nem sabe porque acredita e se realmente acredita é o que você quer realmente seguir, se você tem MEDO de ler sobre outras coisas? O medo retrocede o pensamento, não tenha medo de explorar, de ler, tentar entender, tenha sim receio de ter uma mente estagnada num mesmo ponto pelo próprio medo de pensar. 

  Nossa, isso nem era para ser um post, e sim um comentário, tanto que eu até tive que mudar o título. (: é eu falo demais, vou tentar me controlar da próxima vez. Enfim, guardo meus pensamentos para a próxima postagem a respeito desse título, que era o inicial, mas enfim :" E se deus for psicológico?". 





 

Para facilitar, me chame de ateu. Copyright © 2010 Flower Garden is Designed by José Felipe for Tadpole's Notez Flower Image by Rebeca chuffi.